Saltar para o conteúdo
Content ID: PR_WCS01_UCM01049577

Diário Financeiro 21.04.2017

Em Portugal, o défice corrente estreitou nos primeiros dois meses do ano

Em Portugal, o défice corrente estreitou - 21.04.2017

Em Portugal, o défice corrente estreitou - 21.04.2017

Em Portugal, o défice corrente estreitou nos primeiros dois meses do ano

O défice da balança corrente de Portugal caiu para uns curtos EUR 14 milhões de euros (ME) nos primeiros dois meses de 2017, face ao défice de 560 ME no período homólogo, com melhorias nas balanças de rendimento primário e secundário, apesar do aumento do défice da balança de bens, segundo dados do Banco de Portugal. De facto, a balança de bens e serviços apresentou um défice de 134 ME, o que compara com um excedente de 66 ME no mesmo período de 2016. Por seu turno, o défice da balança de rendimento primário passou de EUR 578 para EUR 278 milhões, diminuindo EUR 299 milhões, influenciado pela redução dos dividendos pagos ao exterior. Já o saldo da balança de rendimento secundário aumentou EUR 448 milhões, justificado pela variação das transferências correntes recebidas, e pela diminuição da contribuição financeira paga à União Europeia.
 
Nos EUA, os pedidos iniciais de subsídio de desemprego aumentaram em 10 mil, para 244 mil, na semana terminada em 15 de Abril (os analistas aguardavam um valor médio a rondar os 242 mil pedidos). Esta evolução sucede após três semanas consecutivas de declínios. Outro facto relevante é que já são 111 semanas seguidas em que os pedidos se encontram abaixo do limite dos 300 mil pedidos (referência para um mercado de trabalho mais saudável), sendo o período mais longo em que isto acontece desde a década de 70 do século passado. Entretanto, em termos do valor médio das últimas quatro semanas (melhor medida de avaliação da evolução do mercado de trabalho visto retirar a volatilidade semanal), verificou-se uma queda de 4.250 indivíduos, para 243 mil pedidos. Recorde-se que presentemente, o mercado de trabalho norte-americano está muito próximo do pleno emprego, com uma taxa de desemprego de 4.5%, nível mais baixo dos últimos 10 anos.

Ainda nos EUA, foram divulgadas algumas informações económicas adicionais com pendor misto. O índice de sentimento empresarial do Fed de Filadélfia referente a Abril fixou-se em 22.0 pontos, que compara com a leitura anterior de 32.8 e com a estimativa média de 25.0 (intervalo entre 18.0 e 35.4). É o menor índice desde Dezembro de 2016 (19.7 pontos). Já o indicador avançado da Conference Board registou uma variação mensal de 0.4% em Março, tendo os 0.6% de Fevereiro sido revistos em baixa para 0.5%.