Saltar para o conteúdo
Content ID: PR_WCS01_UCM01056995

Diário Financeiro 14.09.2017

Portugal emitiu a uma taxa mais baixa

Portugal emitiu a uma taxa mais baixa – 14.09.2017

Portugal emitiu a uma taxa mais baixa – 14.09.2017

Portugal emitiu a uma taxa mais baixa

Portugal emitiu 850 milhões de euros em Obrigações do Tesouro (OT) a 10 anos (Abril 2027) a uma taxa de juro de 2.785%. Face à última emissão comparável, realizada em Julho, o valor exigido pelos investidores para financiar o país foi agora mais baixo. De facto, há três meses atrás, Portugal colocou 685 milhões de euros em OT a 10 anos, a um juro de 3.085%. Na emissão de ontem, a procura superou 2.06 vezes a oferta.

Segundo o Eurostat, a taxa de emprego aumentou no 2º trimestre do ano, em termos homólogos, 1.6% na Zona Euro e 1.5% na União Europeia (UE), com Portugal a registar a segunda maior subida (3.6%) entre os 28. Já face ao trimestre anterior, o emprego cresceu 0.4% tanto na Zona Euro como na UE. Na comparação com o 2º trimestre de 2016, Malta registou a maior subida da taxa de emprego (4.7%), seguindo-se Portugal (3.6%) e Chipre (3.0%). Por seu lado, a Croácia (-1.6%), a Lituânia (-1.4%) e o Luxemburgo (-0.3%) viram o emprego recuar. Em termos de valores globais, o Eurostat indicou que, no 2º trimestre, 235 milhões de pessoas tinham emprego na UE, 155.6 milhões das quais na Zona Euro.

Ainda segundo o gabinete de estatística da UE, a produção industrial na Zona Euro aumentou 0.1%, em linha com as estimativas, e compara com a queda de 0.6% registada em Junho. A produção de bens de capital aumentou 0.8%, os bens de consumo duráveis 0.7% e os bens intermédios 0.5%. Enquanto isso, a produção de bens de consumo não duráveis caiu 0.4% e a energia 1.2%. Em comparação com Julho de 2016, a produção industrial cresceu 3.2%, abaixo das expectativas de um ganho de 3.4%, ainda assim um valor elevado. Em termos homólogos, a produção de bens de consumo duráveis aumentou 5.7%, os bens intermédios 4.8%, os bens de capital 4.3% e a energia 1.2%, enquanto a produção de bens de consumo não duráveis caiu 0.5%. Na totalidade dos países da UE28, a produção industrial em Julho caiu 0.3% no mês e 3.1% no ano.

Na Alemanha, os preços no consumidor situaram-se nos 1.8% em Agosto, em termos homólogos, aumentando ligeiramente pelo terceiro mês consecutivo. Em comparação com Julho, o índice de preços no consumidor subiu 0.1%. Uma das principais razões para o aumento da taxa de inflação foi o desenvolvimento dos preços da energia, que aumentaram 0.5% no mês e 2.3% no ano. Em Espanha, o IPC homólogo subiu 1.6% em Agosto (1.5% em Julho).