Linha Tesouraria – Setor Agrícola 2022

Partilhe    

50 milhões de euros para apoiar o setor agrícola.

Enquadramento

O Instituto de Financiamento da Agricultura e Pescas (IFAP) lançou uma nova linha de crédito com juros bonificados, "Linha Tesouraria - Setor Agrícola", no montante de 50 milhões de euros, dirigida aos setores da produção, transformação ou comercialização de produtos agrícolas.

Tem como objetivo conceder financiamento para fazer face aos custos acrescidos dos fatores de produção decorrentes da situação de seca severa e extrema, bem como de perturbações de mercado.

Esta linha obedece aos seguintes prazos:

  • Bancos - aprovação e envio para o IFAP: 30 de novembro de 2022;
  • IFAP - análise de candidatura: 16 de dezembro de 2022;
  • Bancos - contratação de operações de crédito: 31 de dezembro de 2022.

A presente linha, com prazo de vigência até 31 de dezembro de 2022, foi criada através da Portaria nº 159/2022 de 14 de junho, ao abrigo do Decreto-Lei nº 27-A/2022, de 23 de março e enquadra-se no regime de Auxílios de Estado, com possibilidade de cumulação com outros Auxílios de Minimis, enquadrados no Regulamento (UE) nº 1407/2013.

Vantagens
  • Acesso a uma linha de crédito com bonificação de 50% dos juros na operação de financiamento bancário;
  • Spreads competitivos;
  • Possibilidade de existir um período de carência;
  • Financiamento adaptado às necessidades do setor agrícola.

 

Beneficiários

Empresas (incluindo ENI) residentes em Portugal, dos setores da produção, transformação ou comercialização de produtos agrícolas.

Elegibilidade

  • Operadores do setor da produção: elegíveis todas as empresas;
  • Operadores do setor de transformação e comercialização: apenas são elegíveis os que tenham a forma de cooperativas agrícolas, organizações e agrupamentos de produtores reconhecidos.

Requisitos de elegibilidade dos beneficiários:

  • Desenvolvam a atividade em território nacional;
  • Estejam regularmente constituídas e licenciadas para o exercício das atividades elegíveis;
  • Tenham a situação contributiva regularizada, perante a Administração Fiscal e a Segurança Social;
  • Não se encontrem sujeitas a processo de insolvência, nem preencham os critérios, nos termos do direito nacional, para ficar sujeito a processo de insolvência, a pedido dos seus credores;
  • No caso dos operadores da transformação e comercialização, que tenham a forma de cooperativas agrícolas e as organizações e agrupamentos de produtores reconhecidos.

CAE Elegíveis
O financiamento solicitado pela empresa terá de ser destinado a um dos CAE elegíveis (constantes da Decreto-Lei n° 381/2007, de 14 de dezembro).

Operações Elegíveis

Tipo de operações
Empréstimo a prazo fixo.

Finalidade
Financiamento de necessidades de tesouraria.

Montante

Montante máximo do financiamento por beneficiário:
Até 25 % do valor das vendas e outros produtos ou serviços, tendo como referência o melhor dos 3 últimos exercícios económicos encerrados.
 

Montante máximo de auxílio minimis – Ver capítulo “Minimis”:

 

Prazo
  • Prazo máximo das operações: até 3 anos;
  • Prazo mínimo das operações: um ano;
  • Prazo de utilização: até 9 meses;
  • Nº de desembolsos: até 3 utilizações, sendo que a primeira terá que coincidir com a data de contratação;
  • Período de carência: até 12 meses.
Garantias
  • Garantias que sejam acordadas com o BPI.
Condições

Indexantes aplicáveis
Taxa variável: Euribor 12 meses (floor zero) + spread comercial máximo de 4,5%.


Bonificação da taxa:
É atribuída uma bonificação da taxa de juros de 50%, que incidirá sobre a menor das duas:

  • Taxa aplicada pelo Banco;
  • Taxa de referência para o cálculo de bonificações, criada pelo Decreto-Lei nº 359/89, de 18 de outubro, que neste momento é de 4,5%.


Tipo e Periocidade das Prestações

Pagamento de juros
Postecipados, anuais, deduzidos da bonificação atribuída pelo IFAP.

Comissões BPI
Conforme preçário geral do Banco em vigor.

Links úteis

Para mais informações, contacte qualquer Balcão ou Centro de Empresas BPI ou consulte bancobpi.pt/empresas.

Notas

A presente informação tem natureza publicitária e não dispensa a consulta de informação pré-contratual e contratual legalmente exigida, não constituindo uma proposta contratual.

Contratação sujeita a aprovação prévia das entidades envolvidas e sujeita às condições definidas em função do perfil de risco para cada operação.