Saltar para o conteúdo
Content ID: PR_WCS01_UCM01128308

nota breve 25.03.2020

Portugal - COVID-19 "ensombra" o primeiro excedente orçamental em democracia

Portugal - COVID-19 "ensombra" o primeiro excedente orçamental em democracia - 25.03.2020

Portugal - COVID-19

Portugal - COVID-19 "ensombra" o primeiro excedente orçamental em democracia

O saldo consolidado do conjunto das Administrações Públicas (AP) situou-se em +0.2% do PIB em 2019, o que compara com um saldo de -0.4% do PIB em 2018.

Por componentes, destacamos:

  • Receita fiscal e contributiva, que aumentou 3.8% em comparação com 2018 (um aumento de 2,884 milhões de euros).
  • Juros, com uma queda de 7.5%, ou seja, -519 milhões de euros.
  • Despesas com pessoal e prestações sociais, com um aumento de 4.4% e 4.3%, respetivamente (+2,549 milhões de euros).

Apesar do ponto de partida positivo, os impactos do COVID-19 nas contas públicas serão significativos. As contas públicas partem para 2020 com uma margem de 578 milhões de euros, que resulta da diferença entre o que o Executivo estimava para 2019 e o que se veio a verificar; no entanto, considerando as medidas propostas até ao momento pelo Governo para o combate ao COVID (e o seu eventual reforço no futuro) e os impactos económicos adversos decorrentes da epidemia, antecipamos que o saldo orçamental volte a terreno negativo em 2020, aproximando-se dos 5% do PIB. Ao mesmo tempo, é de realçar que a nossa atual projeção incorpora elevada incerteza, dependendo os pressupostos de base da duração das medidas de contenção, do grau de eficácia das medidas de suporte que vêm sendo anunciadas e do grau de contágio dos mercados financeiros.