Saltar para o conteúdo
Content ID: PR_WCS01_UCM01172517

Exposição "De Polo a Polo, uma viagem aos grandes paraísos naturais", do arquivo da National Geographic Society

Exposição faz parte do Programa Arte na Rua, é aberta e gratuita e tem lugar na Praça da Sé, em Bragança, até o dia 10 de maio.
 

Exposição "De Polo a Polo, uma viagem aos grandes paraísos naturais", do arquivo da National Geographic Society | Banco BPI

Exposição

Exposição faz parte do Programa Arte na Rua, é aberta e gratuita e tem lugar na Praça da Sé, em Bragança, até ao dia 10 de maio.

O Presidente do Município de Bragança, Hernâni Dias, Artur Santos Silva, curador da Fundação "la Caixa" e Presidente Honorário do BPI e Javier Gómez Vargas, comissário da exposição, inaugurarão hoje a exposição De Polo a Polo, uma viagem aos grandes paraísos naturais. A exposição apresenta 52 imagens de grande beleza sobre diversos espaços naturais da Terra, do Ártico à Antártida, com um denominador comum: sensibilizar para a importância de conservar estas áreas únicas do Planeta. A exposição reúne mais de 30 prestigiados fotógrafos de natureza, alguns deles vencedores de prémios como o Wildlife Photographer of the Year e o World Press Photo.

Um dos objetivos prioritários da Fundação "la Caixa" é levar a cultura, a ciência e o conhecimento à sociedade. A divulgação da cultura é um instrumento fundamental para promover o crescimento das pessoas e, por esta razão, a Fundação "la Caixa" e o BPI trabalham de forma a levar o conhecimento a públicos de todas as idades e contextos educativos.

Com o programa Arte na Rua, a Fundação "la Caixa" expõe em Bragança cinquenta e duas fotografias extraordinárias, com o selo da National Geographic Society, sobre a Natureza e o Meio Ambiente e que dão ênfase aos espaços naturais ameaçados, assim como aos efeitos da transformação dos ecossistemas naturais e a sua influência nos seres vivos.

O programa Arte na Rua foi lançado em 2006 e, desde então, tem aproximado do grande público criações de artistas como Auguste Rodin, Henry Moore e os fotógrafos Cristina Garcia Rodero e Sebastião Salgado, entre outros. Agora, em colaboração com a National Geographic Society, o programa integra uma nova linha centrada na ciência e na natureza.

O nosso planeta é único, e únicas são as imagens que compõem esta exposição, que retrata algumas das áreas naturais da Terra conhecidas como «hotspots» ou ecorregiões terrestres prioritárias, bem como áreas selvagens de grande biodiversidade, para além do Ártico e da Antártida, pelo seu importante papel na regulação do clima terrestre e pela ameaça de desaparecimento que enfrentam estas regiões como consequência do aquecimento global. As imagens permitem-nos viajar por estas zonas especiais que desempenham um papel vital na preservação da saúde do Planeta.

Espetacular viagem através dos biomas da Terra

As florestas asiáticas, a savana africana, o Ártico e a Antártida, entre outros, são paraísos naturais a desfrutar na viagem fotográfica que transporta os visitantes aos biomas da Terra presentes na exposição. Viajar do Ártico à Antártida e percorrer o mundo de norte a sul, passando pelos cinco continentes, é o que poderão fazer todos aqueles que visitem a exposição.

São imagens de extraordinária beleza que prestigiados fotógrafos de natureza captaram após infinitas horas e muito engenho, para conseguirem obter a melhor imagem do ano, como Tim Laman, vencedor do Wildlife Photographer of the Year de 2016. Este fotógrafo dedicou semanas, e usou algumas câmaras controladas à distância, para obter a espetacular imagem do orangotango trepador na selva do Bornéu, no Sudeste Asiático.