Saltar para o conteúdo
Content ID: PR_WCS01_UCM01093108

Conjunto de Vinhos Niepoort

Aproveite as condições de Crédito BPI para adquirir um conjunto de vinhos da Niepoort, lançados exclusivamente em parceria com o BPI.

Conjunto Niepoort CaixaZoom

Conjunto de Vinhos Niepoort

Vinho Charme Tinto 2016Zoom

Vinho Charme Tinto 2016

Vinho Batuta Tinto 2016Zoom

Vinho Batuta Tinto 2016

Vinho Poeirinho Garrafeira Tinto 2012Zoom

Vinho Poeirinho Garrafeira Tinto 2012

Vinho Vertente Tinto 2016Zoom

Vinho Vertente Tinto 2016

Vinho Redoma Tinto 2016Zoom

Vinho Redoma Tinto 2016

Vinho Lagar de Baixo Tinto 2016Zoom

Vinho Lagar de Baixo Tinto 2016

Vinho Vinhas Velhas Branco 2016Zoom

Vinho VV Vinhas Velhas Branco 2016

Vinho Conciso Tinto 2016Zoom

Vinho Conciso Tinto 2015

Vinho Doda Tinto 2012ZoomOferta

Oferta - Vinho Doda Tinto 2012

O Conjunto de Vinhos da Niepoort é apresentado num baú personalizado de madeira com o logo da Quinta.

  • 2 Charme Tinto 2016
  • 2 Batuta Tinto 2016
  • 1 Poeirinho Garrafeira Tinto 2012
  • 2 Vertente Tinto 2016
  • 1 Redoma Tinto 2016
  • 2 Lagar de Baixo Tinto 2016
  • 2 VV Vinhas Velhas Branco 2016
  • 2 Conciso Tinto 2015
  • 1 Oferta: Doda Tinto 2012

Condições de Financiamento

O produto só pode ser adquirido com o seu Cartão de Crédito BPI (Particular ou Empresa).

A TAEG/TAE é variável em função do Cartão de Crédito BPI utilizado para pagamento.

Cartão BPI - TAEG 13,7%, TAN 9,5%, anuidade € 20. Cartão BPI Gold - TAEG 16,1%, TAN 10,3%, anuidade € 50. Cartão Premier - TAEG 13,7%, TAN 9,75%, anuidade € 29,97.
Cartão BPI Prémio - TAEG 14,5%, TAN 11,2%, anuidade € 14. Cartão BPI Campeões - TAEG 14,7%, TAN 11,6%, anuidade € 12,50. Cartão FC Porto - TAEG 14,7%, TAN 11,6%, anuidade € 12,50.
Cartão ACP Master - TAEG 13,2%, TAN 8,4%, anuidade € 24. Cartão BPI Zoom - TAEG 14,1% a 16,1%, TAN 10,5% a 12,2%, anuidade € 10 para Não Clientes BPI.

TAEG calculadas para uma utilização de crédito de € 1.500 (exceto para o Cartão BPI Gold e para o Cartão Premier, em que o exemplo é de € 2.500), para as anuidades acima referidas e reembolso em 12 prestações iguais de capital, acrescidas de juros às TAN acima referidas e dos impostos legais em vigor.  A taxa de juro é calculada com base em 360 dias, sem arredondamento.

Cartão BPI Business e BPI Corporate TAE versões Classic: 18,9%, TAN 16%, anuidade € 20, TAE versões Gold: 20,5%, TAN 16%, anuidade € 37,50. TAE calculada, para um exemplo de crédito de € 1.500, TAN e anuidades referidas, prazo de 12 meses e reembolso único no final do prazo, nos termos do DL 220/94. A taxa de juro é calculada com base em 360 dias, sem arredondamento.

O valor do PVP será processado como uma transação de compra no extrato do seu cartão de crédito e o pagamento será realizado de acordo com a modalidade de pagamento definida.

O BPI reserva-se o direito de não processar o pedido, caso o seu cartão não se encontre em situação regular.

Campanha limitada ao stock existente.

PVP: € 395,00

Outras Características

Charme Tinto 2016

  • Classificação: Douro
  • Notas de Prova: leve na cor rubi brilhante, mostra um aroma reduzido com notas de caça e de cerejas. Na prova de boca mantém o carácter redutivo, rústico, mas com uma estrutura muito bem equilibrada. Graças ao estágio em barricas usadas, a fruta mostra-se bem elegante em perfeita harmonia com as notas de barrica, proporcionando taninos finos. Final longo e fresco, sugerindo que irá envelhecer bem em garrafa.
  • Castas: Tinta Roriz, Touriga Franca e outras.
  • Notas de Vinificação: Depois de um ciclo vegetativo consideravelmente frio e húmido até julho, parecia que a vindima estaria bastante atrasada. No entanto, o final de julho e o mês de agosto, no Douro, foram secos e quentes, permitindo que o processo de maturação recuperasse o atraso. Em Vale de Mendiz, a vindima começou a 12 de setembro, mas com uma certa heterogeneidade no que respeita à maturação das uvas, em todas as vinhas. As fortes chuvas que caíram a 13 de setembro forçaram-nos a parar, o que acabou por ser útil, uma vez que permitiu que as uvas atingissem a maturação total durante as semanas seguintes.
  • A vindima prosseguiu em condições muito favoráveis com noites frias. As últimas uvas foram colhidas a 14 de outubro. O míldio na região, originou uma quebra na produção de cerca de 30%, mas os baixos rendimentos e as boas condições meteorológicas concentraram os frutos. Algumas parcelas destinadas ao Charme foram vinificadas desde cedo, originado, vinhos muito interessantes.
  • Teor de Álcool: 13%
  • Sugestão de Acompanhamento: Cogumelos e pratos de caça, tal como perdiz ou faisão.

Batuta Tinto 2016

  • Classificação: Douro
  • Notas de Prova: com uma bonita cor rubi de boa concentração, o Batuta 2016 demonstra um pouco mais de concentração e sobretudo profundidade face às últimas colheitas. Apresenta um aroma muito austero, complexo e generoso nas notas de frutas do bosque. Ligeiramente floral e de carácter mineral muito bem definido com as notas de madeira são elegantes e discretas. Fino e elegante na boca, com muito boa acidez que suporta a estrutura tânica. Apesar de jovem, impressiona pela precisão e profundidade. Final de boca muito fino, longo e sedutor. Irá envelhecer com grande classe.
  • Castas: Touriga Franca, Tinta Roriz, Rufete, Malvazia Preta e outras
  • Notas de Vinificação: o ano vitícola de 2016 caracterizou-se atípico, o Inverno foi quente e chuvoso, a Primavera fria e muito chuvosa e o Verão extremamente quente e seco. As condições do estado do tempo contribuíram para um abrolhamento precoce (cerca de duas semanas) verificando-se, no entanto, ao longo da Primavera, um atraso significativo do ciclo vegetativo, em especial do "Pintor", que ocorreu com cerca de duas semanas de atraso. As vinhas que deram origem ao Batuta foram vindimadas nas duas primeiras semanas Setembro.
  • Teor de Álcool: 12,9%
  • Sugestão de Acompanhamento: O Batuta é muito flexível na combinação com carnes e peixes como o tamboril, lulas ou polvo assado.

Poeirinho Garrafeira Tinto 2012

  • Classificação: Bairrada
  • Notas de Prova: o Poeirinho Garrafeira 2012 mostra uma cor violeta. Apresenta um nariz com uma enorme complexidade, muito expressivo nas notas de frutos vermelhos, algumas especiarias, folhas de tabaco e com um lado floral muito fresco. A pureza de aromas e a sua enorme frescura impressionam. O terroir calcário vibra no aroma e potencia a elegância e finesse da casta Baga. Na boca, é muito fino, complexo e de enorme precisão. Muito polido e com uma excelente acidez, mostra uns taninos muito delicados. Com muito carácter, este Garrafeira apresenta um enorme equilíbrio e embora ainda jovem dá já muito prazer. Final de boca refrescante, muito longo e fino, vai crescendo à medida que se vai provando. Elegante, mas profundo, o Garrafeira irá envelhecer muito bem em garrafa.
  • Castas: Baga
  • Notas de Vinificação: 2012 foi um ano muito seco, quase sem chuva durante o Inverno e a Primavera. Como consequência disso, a rebentação ocorreu quinze dias mais tarde do que no ano anterior e todo o ciclo vegetativo se atrasou. O Verão não foi tão quente como habitualmente e as noites foram bastante frias nas duas últimas semanas de agosto. A produção foi menor devido à falta de água no solo e a alguma chuva durante a floração. Por essa razão, os cachos e bagos apresentaram-se mais pequenos do que o normal, cerca de 20% a 30%, quando comparados com o ano anterior. A vindima começou em finais de setembro. Nas vinhas velhas, a maturação foi muito equilibrada, com um bom teor de açúcar nas uvas e um teor de ácido málico relativamente alto, tendo conferido bons pHs ao vinho, embora a acidez total fosse menor do que no ano anterior. Parte do vinho foi vinificado em lagar, e outra em cubas de inox, onde fermentou e macerou durante 4 semanas. A maloláctica ocorreu em tonéis velhos de 2500L, onde estagiou durante 3 anos e meio. Foi engarrafado sem filtração.
  • Teor de Álcool: 12%
  • Sugestão de Acompanhamento: Cabrito assado, pratos com enchidos, bacalhau no forno ou pratos vegetarianos com leguminosas.

Vertente Tinto 2016

  • Classificação: Douro
  • Notas de Prova: bonita cor ruby, com boa concentração. No aroma mostra-se jovem, rico e complexo com notas de pimenta preta combinadas com frutos vermelhos e silvestres, onde se destacam a ameixa e a cereja. A madeira mostra-se bem casada com algumas notas fumadas. Mostra ainda aromas minerais de pedra molhada. Na boca tem garra e nervo, é complexo e tem uma boa estrutura. É, porém, fino e elegante. Taninos muito bem integrados, com boa acidez que lhe confere um final de boca longo e muito agradável e que deixa adivinhar uma boa evolução em garrafa.
  • Castas: Tinta Roriz, Touriga Franca e outras
  • Notas de Vinificação: 2016 ficou marcado por uma Primavera fria e chuvosa – com inevitável impacto no ritmo de crescimento e desenvolvimento vegetativo das plantas – a que se seguiu um Verão extremamente seco e com marcadas amplitudes térmicas diurnas e noturnas. Com início em meados de agosto, a vindima prolongou-se até ao final de setembro. Após criteriosa seleção, as uvas são depositadas em cubas troncocónicas de inox, aí iniciando o seu processo de fermentação, com maceração e extração bastante curtas. Concluída esta fase do processo, o vinho iniciou a sua fermentação maloláctica em barricas de carvalho francês, permanecendo em estágio durante cerca de 20 meses. O engarrafamento teve lugar em junho de 2018.
  • Teor de Álcool: 12,5%
  • Sugestão de Acompanhamento: Carnes brancas (peru, frango), grelhados, peixes gordos (salmão, garoupa). Sugestões vegetarianas: massas e quiches

Redoma Tinto 2016

  • Classificação: Douro
  • Notas de Prova: com uma bonita cor violeta de boa concentração, o Redoma Tinto 2016 mantém um perfil aromático austero e pleno de carácter. Complexo e profundo nas notas de especiarias, algum vegetal muito típico da Tinta Amarela. O aroma é expressivo, oferece também um perfume floral em boa harmonia com notas minerais. Com presença e bom volume de boca, torna-se elegante graças à acidez firme e às boas nota de engaço. Embora jovem, na prova de boca demonstra já uma precisão e equilíbrio notável, conseguido no longo estágio em tonel. Final muito longo e persistente. Irá envelhecer muito bem.
  • Castas: Tinta Amarela, Touriga Franca, Rufete, Tinta Roriz e Tinto Cão
  • Notas de Vinificação: 2016 ficou marcado por uma Primavera fria e chuvosa – com inevitável impacto no ritmo de crescimento e desenvolvimento vegetativo das plantas – a que se seguiu um Verão extremamente seco e com marcadas amplitudes térmicas diurnas e noturnas. A vindima concentrou-se no final de agosto, naquele que pode ser considerado como um ano perfeito para o Redoma, dada a excelente qualidade das uvas na região, bem como as suas boas características de acidez e salubridade. Sem qualquer seleção particular, as uvas, com 100% de engaço, foram depositadas em lagar de inox com pisadores automáticos, num processo com uma curta maceração. Concluída esta fase do processo, o vinho iniciou a sua fermentação maloláctica em toneis de madeira antiga, permanecendo em estágio durante cerca de 20 meses. O engarrafamento teve lugar em junho de 2018.
  • Teor de Álcool: 12%
  • Sugestão de Acompanhamento: Pratos condimentados, bife pimenta, carne vermelha, caça. Sugestões vegetarianas: pratos com cogumelos.

Lagar de Baixo Tinto 2016

  • Classificação: Bairrada
  • Notas de Prova: leve na cor rubi, apresenta um aroma fresco, pleno de frutos vermelhos, especiarias e argila, refletindo o solo de onde provém. Delicado, mas muito expressivo, a fruta é muito fresca e vibrante, em conjunto com notas verdes de engaço. Na boca, sente-se garra, com taninos bem presentes, ligeiramente terrosos, muito típicos da casta Baga. O longo estágio em tonel conferiu ao vinho muita coesão e precisão. Elegante e fino, embora se mostre jovem apresenta já um excelente equilíbrio. Com apenas 11,5% álcool, convida-nos sempre para mais um copo, sem pesar. Deve servir-se em copo Borgonha e ligeiramente refrescado (14º/15ºC).
  • Castas: Baga
  • Notas de Vinificação: O Inverno na Bairrada foi longo, rigoroso e com uma precipitação elevada, como já tinha acontecido em 2013. Uma Primavera quase inexistente e um Verão com temperaturas a rondar os 30ºC dificultaram o controlo de doenças e maturação. Na vinha, iniciou-se o controlo de maturação em meados de agosto, provando-se o bago e verificando-se o aspeto sanitário das uvas. A vindima começou no início de setembro. O Lagar de Baixo foi vinificado em lagar e cuba de inox, onde fermentou durante semanas, terminando a fermentação em tonéis usados de 2500L. A fermentação maloláctica decorreu nos mesmos tonéis onde estagiou durante 20 meses. Foi engarrafado sem filtração.
  • Teor de Álcool: 11,5%
  • Sugestão de Acompanhamento: Pratos de caça (perdiz, javali), feijoada, bacalhau assado. Sugestões vegetarianas: pratos com leguminosas (feijão vermelho, lentilhas).

VV Vinhas Velhas Branco 2016

  • Classificação: Bairrada
  • Notas de Prova: leve na cor citrina, com o já habitual mesmo registo vibrante, quase nervoso, é expressivo, mas austero. As notas minerais de calcário são muito evidentes, em harmonia com aroma de ervas frescas e limão. Num ano como 2016, o perfil austero e mineral do Bical é muito equilibrado com a expressividade da Maria Gomes. Na boca, impressiona pela leveza, embora encorpado e com muita garra. A acidez e a salinidade eleva o vinho para um patamar único, fresco, muito fino e elegante. Vertical, directo e com um final de boca austero e profundamente mineral. Um branco muito sério, distinto e que deve ser bebido em copos tipo Borgonha.
  • Castas: Bical e Maria Gomes
  • Notas de Vinificação: foi um Inverno ameno, pouco chuvoso com uma precipitação elevada nos meses de Abril e Maio, obrigando a intervenção mais rigorosa. Os meses seguintes foram de temperaturas altas dando origem a uma maturação equilibrada. A vindima terminou a 28 Setembro, com uma quebra de produção cerca de 30% a 35% mantendo uma qualidade de excelência. Foi vinificado em inox, onde fermentou durante 4 semanas, terminando depois em Fuders de 1000 L, onde decorreu a maloláctica e estagiou durante 20 meses. Foi engarrafado sem filtração.
  • Teor de Álcool: 12%
  • Sugestão de Acompanhamento: Pratos de marisco, peixe assado no forno e pratos de bacalhau. Acompanha muito bem pratos de inspiração japonesa, com sabores alcalinos e iodados (tal como a alga Nori).

Conciso Tinto 2015

  • Classificação: Dão
  • Notas de Prova: o Conciso 2015 é leve na cor com tons violeta. Num ano como 2015, o perfil aromático é mais expressivo, com muita fruta e complexidade. Mostra um aroma fresco, marcadamente mineral, com frutos do bosque, flores, especiarias (pimenta e cravinho). Com tempo no copo vai crescendo, ganhando finesse e precisão, pelo que a decantação é quase obrigatória. De média concentração, na boca é envolvente com fruta fresca e taninos sedosos. Um vinho com presença, mas elegante e muito fresco. Um registo do Dão muito próprio, com boa acidez, onde o equilíbrio e harmonia são evidentes. Apresenta um final de boca longo, profundo e delicado. Deve ser bebido em copos tipo Borgonha.
  • Castas: Baga (40%), Jaen (30%) e outras (30%)
  • Notas de Vinificação: o ano vitícola 2015 no Dão ficou marcado por um Inverno mais seco do que o ano anterior, mas a precipitação que caiu no início da Primavera permitiu obter algumas reservas de água no solo, que deram suporte à planta durante os meses secos de Primavera e Verão. Sendo um ano precoce, em julho, a vinha já se encontrava na fase de pintor, e a vindima começou uma semana mais cedo do que no ano anterior. A vindima foi curta, decorreu em condições meteorológicas ideais e terminou a 19 de setembro. O vinho foi vinificado em lagar, com 50% de engaço e maceração prolongada, mas praticamente sem extração. Fermentou durante 25 dias, e estagiou durante 20 meses num tonel velho de 2.500 L. Foi engarrafado sem filtração nem colagem.
  • Teor de Álcool: 12%
  • Sugestão de Acompanhamento: Pratos de gastronomia tradicional, como feijoada, coelho estufado e pratos de caça. Arroz de pato.

Oferta - Doda Tinto 2012

  • Classificação: Dão/Douro
  • Notas de Prova: de bonita cor rubi carregada, num ano equilibrado como 2012, o Doda mostra um aroma floral, com frutos pretos, muito complexo e com alguma exuberância. A madeira encontra-se em plena harmonia com um perfil mineral e muito delicado. De boa concentração na boca, com presença e de taninos firmes, é um vinho com muita estrutura. A mineralidade e a boa acidez trazem frescura e equilíbrio, num final de boca muito longo e silvestre. A força do Douro com a elegância do Dão em plena harmonia! Irá envelhecer com nobreza.
  • Castas: Jaen, Tourigo, Alfrocheiro, Touriga Franca, Tinta Roriz, Tinta Amarela e Tinto Cão.
  • Notas de Vinificação: a grande parte do lote Dão foi vinificada em lagar, tendo depois estagiado em barricas de carvalho francês, onde efetuou a fermentação maloláctica. Cerca de 50% do lote Douro foi vinificado em cuba e os restantes em lagar de granito tradicional, onde foi pisado a pé com uma curta maceração pré-fermentativa. Após a fermentação, o vinho estagiou 21 meses em barricas de carvalho francês, onde realizou a fermentação maloláctica. O Doda foi engarrafado sem qualquer adição de cola.
  • Teor de Álcool: 13,5%
  • Sugestão de Acompanhamento: é um vinho encorpado, mas com boa acidez, o que o torna flexível com vários pratos. Vai muitíssimo bem com arroz de pato ou pratos de caça, assim como com estufados.
Ofertas
Entrega, Cancelamento e Devolução
Fornecedor
Niepoort