Conjunto de Vinhos Quinta Vale D. Maria 2021

Partilhe    

Aproveite as condições de Crédito BPI para adquirir um conjunto de vinhos da Quinta do Vale D. Maria, lançado exclusivamente em parceria com o BPI.

O Pack da Quinta do Vale D. Maria é constituído por 15 garrafas de Vinho:

  • 2 Quinta Vale D. Maria Vinha da Francisca Douro Tinto 14
  • 2 Quinta Vale D. Maria Vinha da Francisca Douro Tinto 15
  • 2 Quinta Vale D. Maria Vinha da Francisca Douro Tinto 16
  • 3 Vale Dona Maria Tinto 2018
  • 6 Quinta do Vale Dona Maria VVV Douro Tinto 2016






PVP : € 395,00
Condições de Financiamento

O produto só pode ser adquirido com o seu Cartão de Crédito BPI (Particular ou Empresa). A TAEG/TAE é variável em função do Cartão de Crédito BPI utilizado para pagamento.

Cartão BPI - TAEG 13,0%, TAN 8,50%, comissão de disponibilização do cartão € 20. Cartão BPI Gold – TAEG 15,3%, TAN 9,32%, comissão de disponibilização do cartão € 50. Cartão Premier - TAEG 13,9%, TAN 9,75%, comissão de disponibilização do cartão € 29,97. Cartão BPI Prémio - TAEG 13,7%, TAN 10,14%, comissão de disponibilização do cartão € 14. Cartão ACP Master - TAEG 12,49, TAN 7,41%, comissão de disponibilização do cartão € 24. Cartão BPI Zoom - TAEG 14,3% a 15,3%, TAN 10,5% a 11,33%, comissão de disponibilização do cartão € 0,00. TAEG calculadas para uma utilização de crédito de € 1.500 (exceto para o Cartão BPI Gold e para o Cartão Premier, em que o exemplo é de € 2.500), para as Comissões de disponibilização acima referidas e reembolso em 12 prestações iguais de capital, acrescidas de juros às TAN acima referidas e dos impostos legais em vigor. A taxa de juro é calculada com base em 360 dias, sem arredondamento. Taxas válidas até 31/12/2021. Cartão BPI Business e BPI Corporate TAE versões Classic: 19,8%, TAN 16%, Comissão de disponibilização € 30, TAE versões Gold: 21,6 %, TAN 16%, Comissão de disponibilização € 50.TAE calculada, para um exemplo de crédito de € 1.500, TAN e Comissões de disponibilização referidas, prazo de 12 meses e reembolso único no final do prazo, nos termos do DL 220/94. A taxa de juro é calculada com base em 360 dias, sem arredondamento.

O valor do PVP será processado como uma transação de compra no extrato do seu cartão de crédito e o pagamento será realizado de acordo com a modalidade de pagamento
definida.

O BPI reserva-se o direito de não processar o pedido, caso o seu cartão não se encontre em situação regular.

Campanha limitada ao stock existente.

PVP : € 395,00
Outras Características

Conjunto Quinta Vale D. Maria 2018

Embalado em caixa de madeira, este conjunto é constituído por 3 garrafas de Quinta

O ano 2018 foi atípico na viticultura, em comparação com os cinco anos anteriores. O inverno foi frio e seco e a primavera fresca com chuva intensa. O verão dividiu-se em dois períodos, em que o primeiro foi frio e chuvoso e o segundo, mais tarde, quente e extremamente seco. Isto provocou um atraso na floração, no entanto, devido às chuvas, a vinha foi capaz de recolher um nível de água suficiente para florescer. Verificou-se uma maior pressão para o desenvolvimento de míldio e a instabilidade climática baixou consideravelmente os níveis de produtividade. Na Quinta Vale do Sabor (Douro Superior), um clima mais consistente permitiu o desenvolvimento das vinhas em boas condições. Em agosto, observou-se alguma desidratação e escaldões, mesmo que leves. As vindimas começaram a meio de setembro. Choveu ligeiramente, mas as uvas foram colhidas na maturação ideal, criando um mosto de alta qualidade.
Origem das uvas: Um blend de 41 castas diferentes, onde se encontram, entre outras, o Rufete, a Tinta Amarela, a Tinta Francisca, o Sousão, a Touriga Franca, a Tinta Roriz e muitas outras típicas do Douro, procedentes dos 10 hectares de vinhas velhas originais da Quinta Vale D. Maria. As vinhas têm idade superior a 60 anos, com exposição Sul, Sudeste, Sudoeste, Nascente e Poente.
Vinificação e envelhecimento: As vinhas velhas da Quinta Vale D. Maria estão divididas em parcelas diferentes e cada parcela é colhida à mão. As uvas são selecionadas, desengaçadas e pisadas em lagares, 1 a 3 dias antes da fermentação em lagar e/ou em cubas de aço inoxidável. Os vinhos são tirados a limpo para barricas de carvalho francês, de 225 litros, provenientes de diversas tanoarias, onde se processa a fermentação malolática. Estagiam depois durante 21 meses em barricas de carvalho francês, sendo os diferentes lotes obtidos, de cada fermentação, mantidos completamente separados até à composição do lote final, cerca de um mês antes do engarrafamento.
Data de Engarrafamento: Julho 2020
Notas de prova: A riqueza aromática que sobressai de frutos vermelhos como amora silvestre, framboesa e cereja madura, caracterizam o Quinta Vale D. Maria Douro tinto 2018. Estrutura elegante e concentrada. Suculento em boca, é equilibrado, fresco e com um final que perdura.
Prémios:
94 Pontos – Din Vin Guide
93 Pontos – Decanter World Wine Awards
Grande Ouro – Concurso Vinhos de Portugal 2021

 


Vinha da Francisca 2015

O ano 2015 foi um ano atípico, com um inverno frio e seco e uma primavera e verão excecionalmente quentes e secos. Particularmente relevante foi a falta de chuva durante a maior parte do ciclo vegetativo, com altas temperaturas entre Junho e Julho. Este clima provocou um adiantamento do mesmo, de cerca de 1 a 2 semanas mais cedo do que a média. O oídio e míldio não tiveram qualquer impacto sobre a qualidade e a quantidade produzida. Em comparação com a última década, 2015 foi o ano vegetativo mais saudável de todos os outros anos. Nas vinhas mais velhas não se registou stresse hídrico devido à capacidade das vinhas mais velhas para encontrar água. Nas vinhas novas houve falta de água, no entanto não houve queda significativa na produção. A maturação atingiu o ponto para a colheita em algumas das vinhas mais cedo do que alguma vez registado. A colheita começou a 26 de Agosto com as uvas brancas no ponto perfeito de maturação e acidez e sob condições meteorológicas magníficas.
Origem das uvas: Desde 1996, a nossa primeira vindima na Quinta Vale D. Maria, constatámos características únicas em cada parcela de vinhas. Todas e cada uma têm uma história para contar. Em 2004, ano do 18º aniversário de Francisca van Zeller, foi plantada a Vinha da Francisca com a antiga e "familiar", Tinta Francisca (casta pela primeira vez plantada em Portugal, no Douro em 1756, na Quinta de Roriz - quinta da família van Zeller até 2009), com Touriga Franca, Sousão, Rufete e Touriga Nacional, com o intuito de criar vinhos como o Quinta Vale D. Maria Vinha da Francisca tinto: frescos e encorpados. Com altitudes de 190 e 230 metros e com exposições a Sul e Sudeste, esta vinha, esta vinha tem 4,5 hectares.
Vinificação e envelhecimento: Todas as uvas do Quinta Vale D. Maria Vinha da Francisca são pisadas em lagares e fermentam depois durante 7 a 10 dias a temperaturas de 22° a 27°C. Os vinhos são tirados a limpo para barricas novas de carvalho francês Allier de 225L (François Frères, Taransaud e outros), onde se processa a fermentação malolática. A seleção final de barricas e a composição do lote acontece em Julho e o vinho é normalmente engarrafado duas ou três semanas depois.
Engarrafamento: Agosto 2017
Notas de Prova: O Quinta Vale D. Maria Vinha da Francisca 2015 é um vinho com uma concentração impressionante e uma frescura marcante. Na boca apresenta notas a minerais de pedras como o xisto, algum chocolate negro, entre aromas a frutos vermelhos maduros como cerejas negras. Na boca apresenta uma explosão de fruta, seguido de um final fresco e persistente.
Prémios:
95 Pontos – Robert Parker
94 Pontos & Cellar Selection - Wine Enthusiast
18 Valores – Revista de Vinhos

 


Conjunto Vale D. Maria VVV Valleys Tinto 2016

Este pack é constituído por 6 garrafas de Vale D. Maria VVV Valleys Douro Tinto 2016, em caixa de cartão.
Este foi o ano do regente e do seu bastão. Os momentos escolhidos para os tratamentos da vinha e para a vindima tinham que ser muito certeiros para atingirmos o equilíbrio dos vinhos. O inverno começou quente, mas com muita chuva, o que foi um excelente começo para repor água no solo depois de um ano de seca como 2015. Registámos uma precipitação acima da média dos anteriores 30 anos, que continuou em abril e maio. Na vinha velha as ervas cresceram de forma mais selvagem tornando a prevenção do míldio e oídio mais difícil mas a inerente baixa de produção de cachos aumentou a concentração do sabor e aroma. A vindima ocorreu em perfeitas condições climatéricas.
Origem das uvas: A Quinta do Vale Sabor, na sub-região do Douro Superior, é onde encontramos as condições perfeitas para a criação de um blend tinto do Douro. A vinha foi plantada principalmente com Touriga Franca, mas tem também Touriga Nacional, uma pequena parte da Tinta Roriz e áreas selecionadas com Baga e Alicante Bouschet. Estas duas últimas variedades encontram-se nas vinhas velhas do Vale do Douro e conferem ao vinho elegância, estrutura e grande capacidade de envelhecimento.
Vinificação e envelhecimento: Todas as nossas uvas são pisadas em lagares 1 a 3 dias antes da fermentação e vinificadas depois durante 7 a 10 dias a temperaturas de 22°a 27°C, parcialmente em lagares ou em cubas de aço inoxidável, com remontagens manuais. Os vinhos são tirados a limpo para barricas de carvalho francês, de 225 litros, provenientes de diversas tanorias (Seguin Moreau, Taransaud, Nadalie, Fraçois Frères e Berthomieu), onde se processa a fermentação malolática. Todos os vinhos estagiam depois durante 21 meses em barricas de carvalho francês (100% de barricas de um, dois e três anos), sendo os diferentes lotes obtidos de cada fermentação mantidos completamente separados até à composição do lote final, cerca de um mês antes do engarrafamento.
Engarrafamento: Julho 2018
Notas de Prova: No nariz, o Vale D. Maria VVV Douro tinto 2016 apresenta o lado mais silvestre e selvagem do Douro, com estevas, rosas, violetas, frutos silvestres, amoras e azeitona preta. Na boca, o vinho é encorpado, com um meio de boca profundo e um final mais fresco e leve.
Prémios: Medalha de Bronze: Decanter Asia Wine Awards 2018


Vinha da Francisca 2016

O ano 2016 foi o ano do regente e do seu bastão. Os momentos escolhidos para os tratamentos da vinha e para a vindima tinham que ser muito certeiros para atingirmos o equilíbrio dos nossos vinhos Brancos, Tintos e Portos. O inverno começou quente e com chuva acima da média dos últimos 30 anos, o que foi um excelente para repor água no solo depois de um ano de seca em 2015. Esta chuva continuou em abril e maio, fazendo crescer muitas ervas de forma quase selvagem e, embora dificultasse o tratamento de míldio e oídio, estas ervas também atuaram como prevenção. Houve uma queda de produção, no entanto um aumento de concentração em cada bago. Junho e Julho foram meses mais medianos, o que atrasou a maturação. Cada dia escolhido para a vindima foi cuidadosamente selecionado, com particular atenção aos níveis de acidez para manter o equilíbrio num ano tão atípico. Para o produtor paciente, as chuvas nos dias seguintes trouxeram a água necessária para manter a maturação dos bagos a evoluir lentamente e na generalidade.
Origem das uvas: Desde 1996, a nossa primeira vindima na Quinta Vale D. Maria, constatámos características únicas em cada parcela de vinhas. Todas e cada uma têm uma história para contar. Em 2004, ano do 18º aniversário de Francisca van Zeller, foi plantada a Vinha da Francisca com a antiga e "familiar", Tinta Francisca (casta pela primeira vez plantada em Portugal, no Douro em 1756, na Quinta de Roriz - quinta da família van Zeller até 2009), com Touriga Franca, Sousão, Rufete e Touriga Nacional, com o intuito de criar vinhos como o Quinta Vale D. Maria Vinha da Francisca tinto: frescos e encorpados. Com altitudes de 190 e 230 metros e com exposições a Sul e Sudeste, esta vinha, esta vinha tem 4,5 hectares.
Vinificação e envelhecimento: Todas as uvas do Quinta Vale D. Maria Vinha da Francisca são pisadas em lagares e fermentam depois durante 7 a 10 dias a temperaturas de 22° a 27°C. Os vinhos são tirados a limpo para barricas novas de carvalho francês Allier de 225L (François Frères, Taransaud e outros), onde se processa a fermentação malolática. A seleção final de barricas e a composição do lote acontece em Junho e o vinho é normalmente engarrafado duas ou três semanas depois.
Engarrafamento: Julho 2018
Notas de Prova: O Quinta Vale D. Maria Vinha da Francisca 2016 é um vinho que marca pela sua frescura e notável concentração. Na boca apresenta notas minerais, algum chocolate negro, por entre aromas a frutos vermelhos maduros, nomeadamente cerejas. No meio de boca, uma impressionante explosão de fruta, seguido de um final fresco e longo.
Prémios:
Melhor Tinto do Ano | Melhor Vinho de Portugal – Concurso Vinhos de Portugal 2019
94 Pontos & Cellar Selection - Wine Enthusiast
93 Pontos – Robert Parker

 


Vinha da Francisca 2014

O ano 2014 caracterizou-se por uma média de precipitação acima do comum, particularmente em Janeiro, Fevereiro, Julho e Setembro. Ocorreram trovoadas nos meses de Junho e Julho, com a temperatura média em Janeiro acima da média e um Agosto mais fresco do que as médias registadas de outros anos. Durante a primavera e verão houve um cuidado redobrado para evitar o aparecimento de míldio, oídio e podridão, sendo que todas as uvas recebidas apresentaram ótimas condições sanitárias. No início parecia uma vindima antecipada, no entanto alguma chuva atrasou a apanha, o que diminuiu o álcool provável das uvas. Houve um aumento relativo na produção, sendo que a qualidade se manteve ao nível de todos os grandes anos do Douro.

Origem das uvas : Desde 1996, a nossa primeira vindima na Quinta Vale D. Maria, constatámos características únicas em cada parcela de vinhas. Todas e cada uma têm uma história para contar. Em 2004, ano do 18º aniversário de Francisca van Zeller, foi plantada a Vinha da Francisca com a antiga e "familiar", Tinta Francisca (casta pela primeira vez plantada em Portugal, no Douro em 1756, na Quinta de Roriz - quinta da família van Zeller até 2009), com Touriga Franca, Sousão, Rufete e Touriga Nacional, com o intuito de criar vinhos como o Quinta Vale D. Maria Vinha da Francisca tinto: frescos e encorpados. Com altitudes de 190 e 230 metros e com exposições a Sul e Sudeste, esta vinha, esta vinha tem 4,5 hectares.
Vinificação e envelhecimento: Todas as uvas do Quinta Vale D. Maria Vinha da Francisca são pisadas em lagares e fermentam depois durante 7 a 10 dias a temperaturas de 22° a 27°C. Os vinhos são tirados a limpo para barricas novas de carvalho francês Allier de 225L (François Frères, Taransaud e outros), onde se processa a fermentação malolática. A seleção final de barricas e a composição do lote acontece em Agosto e o vinho é normalmente engarrafado duas ou três semanas depois.
Engarrafamento: Setembro 2016
Notas de Prova: O Quinta Vale D. Maria Vinha da Francisca 2014 é um vinho estruturado e apresenta notas de minerais de pedras como o xisto, algum chocolate negro, no meio de aromas a frutos vermelhos maduros como cerejas negras. É um vinho muito elegante na boca, linear, fresco e com grande equilíbrio.
Prémios:
95 Pontos & Top 100 Cellar Selection - Wine Enthusiast
93 Pontos – Robert Parker
18 Valores – Revista de Vinhos

 


Ofertas
  • 1 Visita guiada aos jardins e propriedade da Quinta da Aveleda, com Prova Clássica para 2 pax válida por 1 ano
Entrega, Cancelamento e Devoluções

O conjunto de vinhos Quinta Vale D. Maria será entregue na morada que indicar, desde que situada em Portugal Continental e Ilhas, no prazo de 3 semanas (4 semanas nas Ilhas), a contar da data do débito no seu cartão de crédito, excepto no caso de ruptura de stock.

Poderá desistir da compra até 14 dias após a data de entrega do produto encomendado. Neste caso, a devolução do mesmo poderá ser efectuada de forma gratuita devendo para tal devolver o produto com a factura e embalagens originais, tudo completo e em perfeitas condições, num Balcão ou Centro de Investimento BPI. Pode ainda devolver directamente ao Fornecedor, para a morada aqui indicada. Nesta situação o BPI assegura a devolução do valor por crédito na conta à ordem ou na conta-cartão, conforme o meio de pagamento utilizado.

Fornecedor

Aveleda, SA
Rua da Aveleda, 2
4560-570 Penafiel
fernando.ribeiro@aveleda.pt

Produtos Relacionados: