Pack Produtor do Ano 2020 - Vinhos Fita Preta
Partilhe    

Aproveite as condições de Crédito BPI para adquirir um pack de vinhos da Fita Preta, lançados exclusivamente em parceria com o BPI, constituído por 12 garrafas de vinhos tinto e branco.





  • Palpite branco Reserva 2018 1 75 CL
  • Palpite tinto Reserva 2018 1 75 CL
  • Preta Cuvée David Booth 2018 1 75 CL
  • Branco de Indígenas 2019 1 75 CL
  • A Trincadeira não é tão Preta 2019 1 75 CL
  • Alfrocheiro Tb Quer Estar Nú 2019 1 75 CL
  • Baga ao Sol 2019 1 75 CL
  • A Touriga vai Nua 2020 1 75 CL
  • Branco de Talha 2019 1 75 CL
  • A Laranja Mecânica 2020 1 75 CL
  • Tinta Carvalha 2019 1 75 CL
  • Alicante Branco 2019 1 75 CL










PVP : € 245,00
Condições de Financiamento

O produto só pode ser adquirido com o seu Cartão de Crédito BPI (Particular ou Empresa). A TAEG/TAE é variável em função do Cartão de Crédito BPI utilizado para pagamento.

Cartão BPI - TAEG 13,0%, TAN 8,50%, comissão de disponibilização do cartão € 20. Cartão BPI Gold – TAEG 15,3%, TAN 9,32%, comissão de disponibilização do cartão € 50. Cartão Premier - TAEG 13,9%, TAN 9,75%, comissão de disponibilização do cartão € 29,97. Cartão BPI Prémio - TAEG 13,7%, TAN 10,14%, comissão de disponibilização do cartão € 14. Cartão ACP Master - TAEG 12,49, TAN 7,41%, comissão de disponibilização do cartão € 24. Cartão BPI Zoom - TAEG 14,3% a 15,3%, TAN 10,5% a 11,33%, comissão de disponibilização do cartão € 0,00. TAEG calculadas para uma utilização de crédito de € 1.500 (exceto para o Cartão BPI Gold e para o Cartão Premier, em que o exemplo é de € 2.500), para as Comissões de disponibilização acima referidas e reembolso em 12 prestações iguais de capital, acrescidas de juros às TAN acima referidas e dos impostos legais em vigor. A taxa de juro é calculada com base em 360 dias, sem arredondamento. Taxas válidas até 30/06/2021. Cartão BPI Business e BPI Corporate TAE versões Classic: 19,8%, TAN 16%, Comissão de disponibilização € 30, TAE versões Gold: 21,6 %, TAN 16%, Comissão de disponibilização € 50.TAE calculada, para um exemplo de crédito de € 1.500, TAN e Comissões de disponibilização referidas, prazo de 12 meses e reembolso único no final do prazo, nos termos do DL 220/94. A taxa de juro é calculada com base em 360 dias, sem arredondamento.

O valor do PVP será processado como uma transação de compra no extrato do seu cartão de crédito e o pagamento será realizado de acordo com a modalidade de pagamento
definida.

O BPI reserva-se o direito de não processar o pedido, caso o seu cartão não se encontre em situação regular.

Campanha limitada ao stock existente.

PVP : € 245,00
Outras Características
Palpite Branco Reserva 2018

Vinho Regional Alentejano

CASTAS: 70% Arinto, 13% Tamarez, 7% Alicante Branco, 5% Antão Vaz e 5% Verdelho.

CONCEITO: Branco madeirizado muito gastronómico resultante de castas tipicamente
portuguesas em que cada uma desempenha um papel fundamental: Antão Vaz - tipicidade
alentejana, Verdelho - exuberância e fruta exótica, Arinto - acidez.

CLIMA: Mediterrâneo continental, dias quentes e secos, com noites muito frias.

SOLOS: Argilo-calcários.

VINIFICAÇÃO: Vindima manual seletiva em caixas de 20 Kg. Transporte para a adega em
camião de frio. Prensagem direta sem esmagamento, com defecação natural. A fermentação
alcoólica ocorreu a 12ºC em barricas com baconage.

NOTAS DE PROVA: Cor amarelo citrino, com aroma intenso em que os citrinos estão bem
evidenciados com um toque de nata. Na boca o ataque é denso, com acidez bem marcada
mas sem ser exagerada. Retro rica no meio de prova. Acaba com bastante frescura e
persistência.

GASTRONOMIA: Pela sua componente especiada e anatada combina bem com pratos tanto
de peixe como de carnes assadas, e pela sua acidez combina na perfeição com peixe mais
simples e marisco.

CONSERVAÇÃO E SERVIÇO: Conservar a 6-8ºC para ser servido a 10ºC e ser bebido a 12ºC.

ÁLCOOL: 13%Vol.


Distinções/Prémios:
90/100 – Robert Parker Wine Advocate

 


Palpite Tinto Reserva 2018

Vinho Regional Alentejano

CASTAS: 31% Alicante Bouschet, 22% Aragonez, 19% Touriga Nacional, 15% Alfrocheiro e 13%
Trincadeira.

IDENTIDADE: Palpite é o que está na alma do enólogo, expressar um equilíbrio entre as uvas,
o “Terroir” e a intuição do homem. Em cada vindima, o Palpite é produzido pela selecção dos
melhores blocos de vinha e das melhores barricas.

SOLOS: 60% Xistos Amarelos, 40% Graníticos.

CLIMA: Mediterrâneo continental, dias quentes e secos, com noites muito frias.

VINIFICAÇÃO: As uvas são suavemente esmagadas e movidas por gravidade para dentro de
cubas de inox cuja temperatura é regulada para a fermentação decorrer a 27ºC com duas
remontagens por dia. A fermentação é espontânea. “Cuvaison” de 21 dias.

ENVELHECIMENTO: 18 meses em barricas de carvalho francês.

NOTAS DE PROVA: Cor violeta escuro concentrada com aroma concentrado de frutos vermelhos; notas subtis de mentol com fruta madura e taninos redondos. O final de boca é intenso e persistente.

GASTRONOMIA: Servir com pratos de caça ou carnes vermelhas condimentadas.

CONSERVAÇÃO E SERVIÇO: Conservar a 12 - 14ºC e servir a 16ºC para ser bebido a 18ºC

ÁLCOOL: 15% Vol

Distinções/Prémios:
91/100 – Robert Parker Wine Advocate
18/20 – Paixão pelo Vinho

 


Tinta Carvalha 2019

Vinho Regional Alentejano

CASTAS: 100% Tinta Carvalha, uma casta do antigo encepamento do Alentejo.

CONCEITO: 100% Tinta Carvalha, único em Portugal. Desconcertante, que demonstra o papel
desta casta no antigo do encepamento do Alentejo. Frescura e pureza.
A VINHA "CHÃO DOS EREMITAS": Ano de plantação: 1970. Altitude: 256-267 m. Solos: Solos
Graníticos - Litólicos Não Húmicos de origem granítica, são solos pouco evoluídos, formados,
textura arenosa, sem agregados, ligeiramente ácidos. História: Localizada no sopé sul da Serra
d’Ossa, este lugar é especial, sente-se! Dois riachos trazem as águas das chuvas da Serra
mantendo o chão fresco no tórrido calor alentejano, nunca baixando o nível freático da água
abaixo dos 5 metros. Era aqui que antigamente se plantava a vinha, o local era conhecido como
o Chão dos Eremitas, "Chão" termo antigo para zona plana, e dos “Eremitas” referente aos
monges Eremitas da ordem de São Paulo. Aqui existem provas da produção ininterrupta de
vinho desde o séc. XIV, a vinha teve tal importância que uma Bula Papal em 1397 isenta os
“Pauperes Eremitas” de pagar tributos (impostos) nas suas vinhas. Mas a arqueologia vai mais
longe, pois a descoberta da única ânfora de vinho fenícia do interior do País, que data do séc.
VIII a.C, liga este local ao vinho cerca de 900 anos antes da chegada dos Romanos, no que são
3,000 anos de história ligada ao vinho.

VINIFICAÇÃO: As uvas, em solos graníticos e em regime de proteção integrada certificada, são
selecionadas em mesa de escolha, 30% cacho inteiro de 70% desengaçadas, caiem por
gravidade na cuba. Fermentação espontânea e maceração de 40 dias em pelícluas, seguido de
estágio de 12 meses em cubas de inox.

NOTAS DE PROVA: Cor muito aberta, ruby, nariz intenso fresco, notas de fruto vermelho amargo, romãs, notas de grafite. Ataque tenso muito fino, elegante muita profundidade e
tensão. Um tinto que mostra que o Alentejo pode ser outra coisa.

GASTRONOMIA: Um tinto com boa acidez bom peixes gordos complexos e carnes de tacho.

CONSERVAÇÃO E SERVIÇO: Conservar a 14ºC para ser servido a 16ºC e bebido a 18ºC.

ÁLCOOL: 14%Vol.

 


Branco de Indígenas 2019

Vinho Regional Alentejano

CASTAS: 100% Arinto.

CONCEITO: Os vinhos resultam da transformação do açúcar, do sumo de uva, em álcool por
leveduras. Estas leveduras têm vindo a ser isoladas e selecionadas, produzindo, cada vez
melhor, com aromas mais limpos e definidos, permitindo por isso aos enólogos mais controlo.
Juntando a isto o controlo de temperatura, permitiu-nos melhorar em muito a qualidade dos
brancos nos últimos anos. Este Branco de Indígenas, resulta da fermentação espontânea a
partir de leveduras indígenas, isto é do local, do ar, do ambiente circundante, em barricas de
225 L sem controlo de temperatura. O resultado é um vinho texturado, com alguma fruta
limpa, misturada com uma boa componente tosca, que lhe dá a alma das coisas que não se
conseguem controlar. Experimente.

CLIMA: Mediterrâneo continental, dias quentes e secos, com noites muito frias.

VINIFICAÇÃO: Vindima manual em caixas de 20kg, prensagem direta sem esmagamento,
decantação a frio, transfega para barricas de 225L onde os mostos fermentaram de forma
espontânea sem qualquer controlo de temperatura.

NOTAS DE PROVA: Cor amarela palha, nariz intenso, notas de tília, iodo na boca, texturado e
tosco, como algo que só a natureza pode fazer.

CONSERVAÇÃO E SERVIÇO: Conservar a 6-8ºC e servir a 10ºC para ser bebido a 12ºC.

ÁLCOOL: 13% Vol

 



A Trincadeira não é tão Preta 2019

Vinho Regional Alentejano

CASTAS: 100% Trincadeira da vinha Vale dos Chão dos Eremitas.

CONCEITO: Casta tipica alentejana, a Trincadeira preta (sin. Tinta Amarela) de película fina e
frágil, faz com que apodreça se chove e que fique em passa com temperaturas altas. Esta
“Trincadeira” foi colhida no ponto possível, com foco no seu lado de fruta fresca. Uma brisa de
frescura alentejana que se perdeu, mas que afinal esteve cá sempre. A Trincadeira... não é
afinal assim tão Preta!

CLIMA: Mediterrâneo continental, dias quentes e secos, com noites muito frias.

SOLO: Todas as nossas uvas provêm de vinhas da máxima qualidade da região do Alentejo. As
vinhas estão cultivadas em solos muito pobres de origem xistosa ou granítica.

VINIFICAÇÃO: Vindima manual seletiva em cestos de 20Kg, seleção em mesa de escolha,
entrada na cuba por gravidade sem recurso a bombas. Vinificação de intervenção mínima.

ESTÁGIO: 9 meses em cuba de inox sem contacto com barrica e 3 meses em garrafa.

NOTAS DE PROVA: Cor granada-ruby frágil, nariz com notas de bosque molhado, cogumelo e
especiado, com toques herbáceos muito suaves. Na boca é muito fresco, bastante estruturado
e de textura média.

GASTRONOMIA: Tinto fresco, elegante, acompanha bem carnes de tacho, caça e borrego,
onde a frescura da Trincadeira corta a gordura.

CONSERVAÇÃO E SERVIÇO: Conservar a 13ºC e servir a 15ºC.

ÁLCOOL: 14,5% Vol

 


Alfrocheiro Tb Quer Estar Nú 2019

Vinho Regional Alentejano

CASTAS: 100% Alfrocheiro

IDENTIDADE: Ausente dos escritos antigos, o Alfrocheiro pensava-se por isso ser uma casta recente no território nacional. Hoje, a ciência explica que é uma das mais antigas, progenitora de castas como Castelão e Moreto. Este 100% Alfrocheiro é o primeiro teste de uma vinha de 47 anos, em que cada cepa é uma peça de arte esculpida pela natureza, resultando num vinho extreme, puro e floral, como nunca o provámos antes. O Alfrocheiro também queria estar nu.

CLIMA: Mediterrâneo continental, dias quentes e secos, com noites muito frias.

VINIFICAÇÃO: Certificação de produção integrada, fermentação espontânea, sem contacto com barrica.

NOTAS DE PROVA: Cor escura violeta brilhante, nariz intenso, floral, algum químico típico de
alfocheiro, notas terra e grafite. Ataque com boa densidade, puro, fresco com textura longa.

CONSERVAÇÃO E SERVIÇO: Conservar a 12-14ºC e servir a 14ªC para ser bebido a 18ºC.

GASTRONOMIA: Pratos de tacho com gordura.

ÁLCOOL: 15,5% Vol

 


Baga ao Sol 2019

Vinho Regional Alentejano

CASTAS: 100% Baga - Alentejana.

CONCEITO: Carismática e famosa pela sua frescura e rusticidade, a Baga marca tanto um estilo
de vinho como a identidade de toda uma região. Este Baga é Alentejano, o que é inédito e ensaia
a casta mais a sul, onde o xisto, o sol e o calor, permitiram outros patamares de maturação. O
resultado... é a Baga como nunca a provámos, sem nunca deixar de ser ela própria.

SOLOS: Todas as nossas uvas provêm de vinhas da máxima qualidade da região do Alentejo, a Sul de Portugal. As vinhas estão cultivadas em solos muito pobres de origem xistosa ou granítica, originando naturalmente uvas muito concentradas.

VINIFICAÇÃO: Vindima manual seletiva em caixas de 20 Kg. Seleção em mesa de escolha.
Enchimento da cuba por gravidade. Fermentações alcoólica e malolática espontâneas.
“Cuivason” de 15 dias. 18 meses de estágio em inox sem contacto com barrica.

NOTAS DE PROVA: Uma Baga Alentejana e rústica como como deve ser, mas mais quente, com outro nível de maturação. Sem contacto com barrica, o que permite provar esta casta única
numa região mais a sul, como nunca a vimos antes.

GASTRONOMIA: Carnes de tacho, caça e borrego. Onde a frescura da baga corta a gordura.

CONSERVAÇÃO E SERVIÇO: Conservar a 12-14ºC e servir a 16ºC para ser bebido a 18ºC.

ÁLCOOL: 14% Vol.

 


A Touriga vai Nua 2020

Vinho Regional Alentejano

CASTAS: 100% Touriga Nacional.

CONCEITO: Casta rainha das uvas portuguesas, a Touriga Nacional marca pela sua identidade
floral. Uma identidade frágil que se vai perdendo com: o tempo, o estágio e o contacto com a
barrica. Este ensaio mostra a Touriga pura, numa versão rara, estagiada apenas 3 meses em
cuba, para que clarifique de forma natural. As uvas são de solos de xisto e a fermentação
ocorreu de forma espontânea. A Touriga Vai Nua? Vai! Mas nunca a vimos tão bem vestida!

SOLOS: Todas as nossas uvas provêem de vinhas da máxima qualidade, em regime de
produção integrada, da regiãodo Alentejo, a sul de Portugal. As vinhas estão cultivadas em
solos muito pobres de origem xistosa ou granítica, originando naturalmente uvas muito
concentradas.

VINIFICAÇÃO: Vindima manual selectiva em caixas de 20kg. Selecção em mesa de escolha.
Enchimento da cuba por gravidade. Fermentações alcoólica e malolática espontâneas.
“Cuivason” de 15 dias. 3 meses de estágio em inox sem contacto com barrica.

NOTAS DE PROVA: Cor ruby-violeta intensa. Na prova é bastante fresco, com uma forte expressão de fruta, tornando-o um vinho bastante guloso, com outro nível de maturação. Sem contacto com barrica, permite provar a nossa casta “rainha” crua e nua como nunca a vimos antes.
GASTRONOMIA: Acompanha pratos de carnes brancas e vermelhas, tanto na cozinha tradicional como na cozinha moderna.

CONSERVAÇÃO E SERVIÇO: Conservar a 12-14ºC e servir a 16ºC para ser bebido a 18ºC.

ÁLCOOL: 13,5% Vol
Isento de Glúten. Vegan.

 


Branco de Talha 2019

Vinho Regional Alentejano

CASTAS: Roupeiro (70%) e Antão Vaz (30%).

CONCEITO: Vinho com base na metodologia antiga da Talha, em busca de complexidade e
identidade regional (embora seja um contra-senso com a enologia actual), usando
simultaneamente as técnicas de esmagamento/prensagem que defendemos.

SOLOS: Todas as nossas uvas provêm de vinhas da máxima qualidade da região do Alentejo, a sul de Portugal. As vinhas estão cultivadas em solos argilo-calcários.

VINIFICAÇÃO: Vindima manual muito seletiva em caixas de 20kg. As caixas foram colocadas
diretamente na prensa sem esmagamento. O mosto depois de decantado foi colocado numa
talha de 1000 litros com a data inscrita de 1946. A fermentação ocorreu então em talha, numa
câmara de frio a 14ºC durante cerca de 28 dias. O vinho foi decantado e estabilizado com
bentonite e estabilizado por frio.

NOTAS DE PROVA: Um branco diferente, marcado pela talha, assente primeiro na fruta e
frescura das castas, com uma segunda dimensão dominada pelas notas terrosas, quase
químicas da talha. Na boca alguma textura, sempre suportado em tensão e acidez.

GASTRONOMIA: Combina com saladas frescas, massas, peixes que reforcem as notas de terra
como cogumelos, beterraba, trufa e notas frescas citrinas.

CONSERVAÇÃO E SERVIÇO: Conservar a 6-8ºC para ser servido a 10ºC para ser bebido a 12ºC.

ÁLCOOL: 12,5%

 


Alicante Branco 2019

Vinho Regional Alentejano

CASTAS: 100% Alicante Branco. O Alicante Branco, foi e é também conhecido como o Boal de
Alicante ou o Boal Cachudo e terá sido durante muitos anos uma casta importante no Alentejo.
Gyrão, 1822, 50 anos antes da filoxera, cita vários “Boiais”, dando destaque ao Boal Cachudo.

CONCEITO: Um 100% Alicante Branco, único em Portugal é um ensaio de casta exclusiva de
Portugal, é o único no mundo. Este vinho testa o potencial de uma das castas an􀆟gas do
encepamento do Alentejo com a modernização da viticultura quase desapareceram.
A VINHA "CHÃO DOS EREMITAS": Ano de plantação: 1970. Altitude: 256-267 m. Solos: Solos
Graníticos - Litólicos Não Húmicosde origem graní􀆟ca, são solos pouco evoluídos, formados,
textura arenosa, sem agregados, ligeiramente ácidos. História: Localizada no sopé sul da Serra
d’Ossa, este lugar é especial, sente-se! Dois riachos trazem as águas das chuvas da Serra mantendo o chão fresco no tórrido calor alentejano, nunca baixando o nível freá􀆟co da água
abaixo dos 5 metros. Era aqui que antigamente se plantava a vinha, o local era conhecido como
o Chão dos Eremitas, "Chão" termo antigo para zona plana, e dos “Eremitas” referente aos
monges Eremitas da ordem de São Paulo. Aqui existem provas da produção ininterrupta de
vinho desde o séc. XIV, a vinha teve tal importância que uma Bula Papal em 1397 isenta os
“Pauperes Eremitas” de pagar tributos (impostos) nas suas vinhas. Mas a arqueologia vai mais
longe, pois a descoberta da única ânfora de vinho fenícia do interior do País, que data do séc.
VIII a.C, liga este local ao vinho cerca de 900 anos antes da chegada dos Romanos, no que são
3,000 anos de história ligada ao vinho.

VINIFICAÇÃO: As uvas, em solos graníticos e em regime de proteção integrada certificada, são
apanhadas entre as 3 e 4 horas da madrugada, prensa directa, sem sulfitos até ao final de
fermentação, sem decantação e fermentação espontânea de 40% em barricas velhas, e
controladas de 60% em inox. 12 meses de estágio sobre as borras primárias sem ba􀆩onage.

NOTAS DE PROVA: Cor amarelo-citrino, nariz intenso, notas de toranja, pêssego e pólvora.
Ataque cheio encorpado, excelente untuosidade e persistência.

GASTRONOMIA: Vinho com bastante concentração, bom para pratos de peixe no forno ou
tacho e pratos de aves mais simples.

CONSERVAÇÃO E SERVIÇO: Conservar a 6-8ºC para ser servido a 10ºC e bebido a 12ºC.

ÁLCOOL: 12,5% Vol


A Laranja Mecânica 2020

Vinho Regional Alentejano

CASTAS: Arinto, Roupeiro, Verdelho, Antão Vaz, Alicante Branco, Trincadeira-das-Pratas,
Fernão Pires.

CONCEITO: Depois da primeira e suave prensagem, as uvas ainda têm 10 a 15% de sumo.
Deixámos essas uvas macerar por 7 dias e depois voltámos a prensar e retirámos mais sumo,
mais concentrado. Este sumo foi fermentado espontaneamente. O resultado é desconcertante, indisciplinado, disruptivo, perturbador... de uma maneira deliciosa. Não é um filme, é um vinho.

VINIFICAÇÃO: As uvas depois da primeira prensagem, são maceradas por cerca de uma
semana, com o pouco sumo que lhe sobra (10% a 15%), seguidamente voltamos a prensar
estas massas, o sumo libertado é decantado a frio com fermentação espontânea, não é adicionado qualquer sulfuroso até ao final da fermentação. Existe depois uma fermentação
malolática completa, espontânea, a estabilização é feita com bentonite, sem qualquer filtração.

NOTAS DE PROVA: Cor laranja mel, nariz muito exuberante, notas de laranja cristalizada, algum
marmelo quase toques de vindima tardia. Ataque cheio, super texturado a meio de prova,
guloso, mas com muita frescura.

GASTRONOMIA: Ótimo branco para arranque de refeições como uma harmonização clássica
de Foie gras, ou uma terrina, um branco muito interessante na transição brancos tintos, pela
sua intensidade e concentração.

CONSERVAÇÃO E SERVIÇO: Conservar a 6-8ºC para ser servido a 10ºC e bebido a 12ºC.

ÁLCOOL: 13,5% Vol

 


A FITAPRETA Vinhos recebeu o troféu Produtor do Ano 2020 pela Revista de Vinhos no que é a mais alta distinção que um produtor pode receber. Por detrás da Fitapreta Vinhos está o irreverente enólogo António Maçanita que se afirmou como dos enólogos mais criativos da sua geração e em pouco mais de 17 anos produz vinhos em 5 regiões, criou 3 projetos de produção própria, A Azores Wine Company nos Açores, a FITAPRETA Vinhos no Alentejo e a MAÇANITA Vinhos no Douro, ajudou a desenvolver 12 produtores em consultoria, por exemplo o vinho Cem Reis da Herdade da Maroteira e Quinta de Santana em Mafra, não é de estranhar que tenha sido considerado Enólogo do Ano 2018 e recebeu também o Prémio Singularidade 2018 pela revista Grandes Escolhas.
A Fitapreta Vinhos, instalada num Paço Medieval do sec. XIV, é conhecida pelo seu empenho na recuperação da história dos vinhos do Alentejo, da defesa de castas autóctones, algumas quase extintas, e também da recuperação de técnicas antigas, como a vinificação em Talha, que foi pioneira no lançamento do primeiro Branco de talha em Portugal.
Neste conjunto Fitapreta – Produtor do ano – Juntamos uma seleção do melhor da Fitapreta em que encontramos alguns clássicos como os Palpite e o Preta sempre no topo das classificações da região, que refletem a continuidade e qualidade superior dos vinhos Fitapreta, podemos ainda lançarmo-nos nos ensaios e descobertas do produtor na Gama Signature Series e ainda no conjunto de vinhos do Chão dos Eremitas uma vinha velha com castas perdidas que a Fitapreta tem estado a recuperar que mostra um outro Alentejo mais fresco, que quase se perdeu no tempo.

 


Preta Cuvée David Booth 2018

Vinho Regional Alentejano

CASTAS: Alicante Bouschet (58%), Aragonez Tempranillo (35%) e Baga (7%).

CONCEITO: Sócio fundador, viticultor, amigo e um ser humano de excepção. Partiste cedo
demais. Este vinho é o melhor de cada de ano. David, este é o teu vinho!

SOLOS: Maioritariamente xistosos.

VINIFICAÇÃO: Vindima manual em caixas de 18kg. Fermentação alcoólica e malolática
naturais e espontâneas. “Cuvaison” de 28 dias.

ENVELHECIMENTO: 24 meses em barricas de carvalho francês.

CONSERVAÇÃO E SERVIÇO: Conservar a 12-14ºC e servir a 16ºC para ser bebido a 18ºC.

ÁLCOOL: 14,5% Vol.

Distinções/Prémios:
Vintage 2017: 94/100 – Robert Parker Wine Advocate

 


Ofertas

Visita à Adega para 2 pessoas (Válido até Maio de 2022)

Entrega, Cancelamento e Devoluções

O pack de vinhos Fita Preta será entregue na morada que indicar, desde que situada em Portugal Continental e Ilhas, no prazo de 3 semanas (4 semanas nas Ilhas), a contar da data do débito no seu cartão de crédito, exceto no caso de rutura de stock.

Poderá desistir da compra até 14 dias após a data de entrega do produto encomendado. Neste caso, a devolução do mesmo poderá ser efetuada de forma gratuita devendo para tal devolver o produto com a fatura e embalagens originais, tudo completo e em perfeitas condições, num Balcão ou Centro Premier BPI. Nesta situação o BPI assegura a devolução do valor por crédito na conta à ordem ou na conta-cartão, conforme o meio de pagamento utilizado.

Fornecedor

FITA PRETA VINHOS, LDA.
Paço de Mogrado de Oliveira, Estrada M527, Km10
Nossa Senhora da Graça do Divor
7000-016 Évora

Produtos Relacionados: