Saltar para o conteúdo
Content ID: PR_WCS01_UCM01004336

Recomendações de Segurança BPI | Utilização do E-mail

Recomendações de Segurança BPI | Utilização do E-mail

Conheça os cuidados a ter para garantir a segurança na utilização do E-mail.

Utilização do E-mail

Conheça os cuidados a ter para garantir a segurança na utilização do e-mail.

Em plena era da Internet, a utilização do e-mail tornou-se indispensável, constituindo atualmente um meio de comunicação utilizado de forma generalizada. No entanto, é necessário ter presente que a utilização segura do e-mail pressupõe a adoção de algumas precauções que permitam confirmar se as mensagens recebidas são fidedignas.

Aparentemente legítimos, alguns e-mails que se encontram em circulação são forjados e têm como objetivo a infeção do seu computador através dos anexos ou links que contêm. Pode até parecer que foram enviados por contactos verdadeiros e os anexos parecerão inócuos. Em alguns casos, para conferir credibilidade utilizam imagens e nomes que pertencem a empresas ou entidades reais ou até podem parecer ser provenientes da sua lista de contactos.

O acesso aos anexos ou links infetados pode provocar a monitorização de toda a atividade no computador, sem que o utilizador se aperceba. O objetivo habitualmente é  a captura de informação confidencial para posterior utilização fraudulenta, nomeadamente dados bancários e de acesso aos serviços de Homebanking.

Outra possível consequência do acesso ao conteúdo destes e-mails é o bloqueio de alguns dos seus ficheiros pessoais.

Efetivamente, existe software malicioso que impede o acesso a alguns ficheiros por parte do utilizador, sendo apenas possível desbloqueá-los mediante o pagamento de um "resgate".

Esteja atento a alguns sinais que poderão ajudá-lo a identificar um e-mail fraudulento. Estes e-mails:

  • Utilizam normalmente expressões genéricas como "Caro Cliente" ou "Prezado Cliente" e não se dirigem aos destinatários pelo nome.
     
  • Muitas vezes contêm erros de ortografia, erros gramaticais e até expressões que habitualmente não são utilizadas na comunicação em língua portuguesa.
     
  • O texto tenta induzir os destinatários a agir de uma determinada forma, nomeadamente: responder à mensagem, aceder a um link, executar software ou realizar um conjunto de instruções. Para persuadir os destinatários, estas mensagens assumem um caráter de urgência, apelando a uma ação imediata. São diversos os pretextos apresentados: o acesso à sua conta ou os seus cartões irão expirar; referência a uma operação bancária ou a uma despesa para pagamento, entre outros.
  • Em grande parte dos casos, são solicitadas informações:
    - Pessoais (números de BI, contribuinte, telemóvel);
    - Financeiras (números de contas, de cartões de débito e de crédito);
    - De acesso a sites diversos, nomeadamente sites bancários (chaves de acessos e códigos de cartões de coordenadas).
     

Desconfie de qualquer mensagem que solicite essas informações, mesmo que ela possa parecer autêntica.


É aconselhável confirmar com o remetente a veracidade da mensagem:

  • Quando receber e-mails não solicitados que contenham anexos ou links, sempre que tal confirmação seja possível.
     
  • No caso de detetar algum e-mail que considere suspeito. Neste caso, não forneça qualquer informação, nem aceda aos links ou ficheiros disponibilizados.
     

Saiba como se pode defender

  • Não abra, responda ou reencaminhe mensagens de correio eletrónico não solicitadas ou sobre as quais tenha dúvidas, nomeadamente sobre a sua origem ou o seu conteúdo. Confirme com a entidade remetente a veracidade do e-mail.
     
  • Nunca forneça dados pessoais e/ou financeiros em resposta a solicitações via e-mail.
     
  • Seja muito cuidadoso se abrir ficheiros ou seguir links recebidos através de e-mails, digite no browser o endereço da entidade referida no e-mail e navegue a partir daí. Os e-mails e os seus anexos (ficheiros ou links) são frequentemente usados para propagar vírus, abrindo a utilização do seu computador a terceiros.
     
  • Se receber algum e-mail que venha identificado como sendo do BPI, deverá ter em atenção este conjunto de normas. Caso estas não sejam respeitadas poderá estar perante uma comunicação fraudulenta.

Atualmente, é frequente o recurso à Internet na procura de emprego. Por vezes, são publicadas falsas propostas de emprego em sites legítimos que têm como objetivo a obtenção de informações pessoais ou levar quem procura emprego a colaborar em esquemas fraudulentos.

Estas propostas de trabalho são muito aliciantes pois proporcionam elevados rendimentos em troca de pouco trabalho. São muitas vezes anunciadas como complementares à atividade profissional habitual dos candidatos, podendo o trabalho ser realizado a partir de casa e exigindo apenas que os candidatos tenham acesso a um computador e/ou telemóvel.

É frequente a função a desempenhar consistir em receber transferências de valores numa conta Bancária e transferi-los para outras contas indicadas pelo "empregador", mediante o pagamento de uma comissão. Estas transferências inserem-se normalmente em atividades de natureza criminosa. É comum, nestes casos, a função anunciada ter a designação de "agente financeiro" ou "gestor financeiro".
 

Proteja-se das ofertas de trabalho fraudulentas.

  • Se receber uma proposta de emprego semelhante ao descrito acima, recomendamos que não colabore de forma alguma e que transmita de imediato estes factos às autoridades policiais.
     
  • Não responda a propostas que requeiram informações sobre a sua conta bancária.
     
  • Não abra uma conta bancária nem ceda a sua conta para receber quantias monetárias cuja proveniência desconhece e nunca transfira dinheiro, a pedido de terceiros, para um destinatário que não conheça.