Saltar para o conteúdo
Content ID: PR_WCS01_UCM01082054

Concurso de Apoio à Arte Contemporânea da Fundação 'la Caixa'' seleciona três projetos portugueses.

Catarina Botelho e Pedro Neves Marques selecionados na categoria de apoio à produção de obras de arte, e João Laia na categoria de apoio à curadoria.

Concurso de Apoio à arte contemporânea da Fundação ''la Caixa'' seleciona três projetos portugueses | Banco BPI

Concurso de Apoio à arte contemporânea da Fundação ''la Caixa'' seleciona três projetos portugueses | Banco BPI

Catarina Botelho e Pedro Neves Marques são os dois selecionados na categoria de apoio à produção de obras de arte, e João Laia na categoria de apoio à curadoria.

  • Catarina Botelho, com o projeto "O Tempo das Coisas", e Pedro Neves Marques, com o projeto "YWY, Visões", são os dois selecionados na categoria de apoio à produção de obras de arte, e João Laia, com o projeto "Em Queda Livre", na categoria de apoio à curadoria.
  • O programa Apoio à Criação é parte da ação da Fundação "la Caixa" em Portugal e reúne toda a sua experiência ao longo dos anos no apoio de novos talentos culturais em Espanha.
  • A Fundação "la Caixa", com sede em Espanha e uma das mais relevantes a nível internacional, iniciou este ano a sua implantação em Portugal, consequência da entrada do BPI no Grupo CaixaBank.

A Fundação "la Caixa" anunciou os 11 projetos selecionados pelo concurso Apoio à Criação – Coleção de Arte Contemporânea "La Caixa". No total foram apresentados 302 projetos, 45 de Portugal.

Dos 45 projetos portugueses apresentados, foram selecionados três para integrar os 11 vencedores: "O Tempo das Coisas", de Catarina Botelho, e "YWY, Visões", de Pedro Neves Marques, na categoria de apoio à produção de obras de arte; e o projeto "Em Queda Livre", de João Laia, na categoria de apoio à curadoria.


O Tempo das Coisas, de Catarina Botelho

Vídeo de 30 minutos composta por duas linhas de investigação, gerando duas narrativas: a primeira (imagem e som) será uma forma de criar uma temporalidade cinematográfica que permita que a segunda (voz off/narração) tenha lugar. A artista busca criar tempos/espaços que permitam ao espectador, face à atual saturação de informação, refletir. Com este vídeo quer-se abrir uma brecha no tempo acelerado e individualista, criar uma ilha de quietude.
 

CatarinaBotelho2

CatrinaBotelho01


YWY, Visões, de Pedro Neves Marques

Vídeo de aproximadamente 30 minutos, tendo como colaboradora e atriz principal Zahy Guajajara, indígena do Maranhão, no Brasil, com quem o artista já filmou anteriormente. Trata-se de uma película narrativa a partir de um guião de ficção científica que decorre no Brasil, e possivelmente também numa Europa tanto futurista quanto actual.
 

PedroNeves2

PedroNeves1


Em Queda Livre, de João Laia

Utiliza como referência maior "A Queda Sem Fim", de José A. De Bragança. Nesta obra o pensador utiliza a imagem de queda como metáfora para o clima de transformação acelerada que habitamos, onde a progressiva desmaterialização das imagens, narrativas e objetos que serviam de alicerce à nossa sociedade, resultou num sentimento generalizado de abismo. O projeto de curadoria utiliza o conceito de queda como ferramenta estruturante, integrando diferentes contextos temporais, geográficos e simbólicos numa única narrativa. A proposta foca-se em trabalhos produzidos desde 1969 até hoje, utilizando o abandono dos acordos de Bretton Woods em 1971 e a consequente desmaterialização da economia como evento decisivo para o período contemporâneo. Tendo como ponto de partida esse evento central para a financialização das nossas sociedades, o projeto avança para o momento atual propondo uma contextualização de dinâmicas subjetivas no interior de movimentos sociais alargados.

O apoio à produção artística pretende ser uma força motriz para os artistas que necessitam de apoio económico e profissional para produzir uma obra de arte. O objetivo da ajuda não está centrado na exposição, mas sim em fornecer os recursos necessários para a produção da obra para que esta possa vir a integrar uma exposição ou qualquer outro formato que lhe dê visibilidade. O número de produções não é fixo, dependendo do orçamento total das obras que se decida produzir. O valor atribuído a cada artista também varia consoante as propostas apresentadas. O apoio económico inclui os honorários para os artistas e o custo da produção da obra. Além disso, a Fundação "la Caixa" oferecerá assessoria e acompanhamento aos artistas selecionados, bem como a possibilidade de aceder a outros recursos externos para complementar o projeto.

O apoio à curadoria concede três bolsas para realizar exposições no CaixaForum Barcelona. Os curadores podem escolher entre as mais de mil obras que compõem a coleção "la Caixa" e também o Museu de Arte Contemporânea de Barcelona (MACBA), que coloca as suas coleções à disposição dos curadores. Estarão disponíveis obras de conceituados autores como Joseph Beuys, Antoni Tàpies, Gerhard Richter, Bruce Nauman ou Juan Muñoz. As exposições são incluídas no programa anual da CaixaForum Barcelona, ficando em aberto a possibilidade de se tornarem itinerantes, bem como a possibilidade de serem estabelecidas possíveis colaborações com outras instituições. Cada um dos curadores selecionados receberá 6.000 euros pelo seu projeto e contará com os recursos e assessoria da equipa da exposição da Fundação "la Caixa".

Com o programa "Apoio à Criação" – Coleção de Arte Contemporânea "la Caixa", de apoio à produção e à curadoria, a Fundação "la Caixa" continua a sua longa trajetória de compromisso com novos talentos no campo da cultura em geral e nas artes visuais em particular. Ao longo dos anos, reforçando o seu compromisso com a arte emergente, a Fundação "la Caixa" tem realizado diversas iniciativas com o intuito de projetar jovens que iniciam a sua trajetória profissional.

Por outro lado, este programa está ligado a uma intenção histórica da Fundação "la Caixa": aumentar a capacidade de gerar conhecimento e sensibilidade para a arte mais atual. Tornar a criação contemporânea conhecida pela quebra das barreiras que, muitas vezes, a separam do público, é um dos objetivos da Fundação no campo cultural. Nesse sentido, a Coleção de Arte Contemporânea "la Caixa" – atualmente composta por mais de mil obras - constitui um ponto de referência artística internacional, como se demonstra pelo empréstimo regular de algumas de suas obras para exposições em todo o mundo e a constante organização de exposições apoiadas pelos fundos da Fundação "la Caixa".

A Fundação "la Caixa", com sede em Espanha e uma das mais relevantes a nível internacional, iniciou este ano a sua implantação em Portugal, consequência da entrada do BPI no Grupo CaixaBank.