Nota Informativa
27 de Setembro de 2022
nota breve 27.09.2022
  • O saldo consolidado do conjunto das Administrações Públicas (AP), na ótica de caixa, ficou em cerca de 1.5% do PIB no acumulado até agosto, o que compara com um défice de 4.8% do PIB em igual período de 2021 e 0.3% nos primeiros 8 meses de 2019. A melhoria face a 2021 resulta do crescimento substancial da receita (+16.6% homólogo), principalmente receita fiscal, e de um crescimento muito residual do lado da despesa (0.1%). Importa ter presente que a comparação com 2021 é marcada pelo processo de desconfinamento gradual depois do lockdown severo no início desse ano para controlar a proliferação da pandemia da COVID-19.
  • Os dados da execução para os primeiros 8 meses do ano apontam para um saldo orçamental que pode ficar abaixo dos -1.9% do PIB esperados pelo BPI Research (em revisão; em contabilidade nacional), com os riscos enviesados em sentido positivo (ou seja, é provável revisão em baixa para o défice em 2022). No entanto, importa destacar que o prolongamento do conflito Rússia-Ucrânia prolonga também a incerteza e acentua os efeitos negativos na economia, o que, a par da crise energética, pode levar à necessidade de implementar medidas adicionais de apoio às famílias mais vulneráveis ao aumento dos preços dos bens essenciais e às empresas. Adicionalmente, a persistência da inflação em níveis elevados e a necessidade de uma postura mais agressiva por parte do BCE, com consequências no aumento das taxas de juro soberanas, constitui um desafio à manutenção desta trajetória no médio prazo.