BPI Gestão de Ativos lança os primeiros fundos portugueses que têm como objetivo investimentos sustentáveis (artigo 9º)

Partilhe    
25-05-2022
  • Os fundos da gama BPI Impacto Clima são os primeiros fundos nacionais que cumprem com os requisitos de transparência do artigo 9º do regulamento de divulgação de informações relacionadas com a sustentabilidade nos serviços financeiros (SFDR, na sigla em inglês).
  • Estratégia de investimento foca-se em atividades que possam contribuir direta ou indiretamente para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), em particular, os relacionados com a ação climática.

A BPI Gestão de Ativos, em linha com os compromissos em matérias de sustentabilidade do BPI, ampliou a sua oferta de soluções de investimento com os fundos BPI Impacto Clima. São os primeiros fundos portugueses que cumprem com os requisitos de transparência do Artigo 9º -considerado o mais exigente- do regulamento de divulgação de informações relacionadas com a sustentabilidade no setor dos serviços financeiros (também conhecido pela sigla inglesa “SFDR”).

Os novos fundos de investimento BPI Impacto Clima – Ações e BPI Impacto Clima – Obrigações serão da responsabilidade da área liderada por Luís Alvarenga, e vão proporcionar o acesso a investimentos em atividades que, na avaliação da BPI Gestão de Ativos, possam contribuir direta ou indiretamente para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) estabelecidos pela Assembleia Geral das Nações Unidas, em particular, os relacionados com a ação climática.

A estratégia de investimento do BPI Impacto Clima – Ações inclui empresas que estabeleçam metas climáticas ambiciosas, aumentem a sua eficiência energética, estejam alinhados com targets científicos, ou promovam soluções de combate às alterações climáticas, estando deste modo alinhadas e/ou relacionadas com a ação climática. No caso do BPI Impacto Clima – Obrigações, o investimento estará sobretudo centrado nas chamadas obrigações verdes (green bonds) e obrigações ligadas a objetivos de sustentabilidade.

Em breve, a BPI Gestão de Ativos vai completar a gama BPI Impacto Clima com fundos multiativos, com diferentes níveis de exposição a ações, que estarão disponíveis para subscrição a Clientes do Banco BPI.

Compromisso com o Investimento Sustentável e Responsável

O BPI, detido pelo Grupo CaixaBank tem um forte compromisso com o desenvolvimento de produtos e serviços financeiros que incluam critérios ESG.

Em particular, a BPI Gestão de Ativos compromete-se a contribuir para uma economia sustentável, que combina a rentabilidade de longo prazo com justiça social e proteção ambiental. Com a integração de critérios ambientais, sociais e de bom-governo (ou “ESG” usando a sigla inglesa) na gestão de investimentos é possível gerar um efeito positivo a longo prazo no retorno financeiro e ainda promover o desenvolvimento económico e social.

A BPI Gestão de Ativos desenvolveu um modelo de Integração de Riscos de Sustentabilidade com base em três pilares fundamentais:
 

  • Incorporação de aspetos ESG no processo de análise de investimentos e tomada de decisão, complementando os critérios financeiros tradicionais;
  • Envolvimento de longo prazo com as empresas em que investe, com maior participação nas decisões de governo (exercício dos direitos de voto);
  • Diálogo com empresas em questões materiais ou controversas relacionadas com critérios ESG (conhecido como Engagement).

Como sinal de compromisso com a sustentabilidade, em 2019 a BPI Gestão de Ativos aderiu aos Princípios para o Investimento Responsável das Nações Unidas (UN PRI, na sua sigla em inglês), iniciativa da comunidade financeira e fomentada pelas Nações Unidas para contribuir para o desenvolvimento de um sistema financeiro mais estável e sustentável através da implementação de seis princípios relacionados com Direitos Humanos, Práticas Laborais, Proteção Ambiental e Combate à Corrupção.

Também em 2019, a BPI Gestão de Ativos tornou-se a primeira empresa portuguesa a aderir ao "Climate Action 100+" que visa a implementação dos objetivos do Acordo de Paris, promovendo o decréscimo das emissões de gases com efeitos de estufa e o combate às alterações climáticas, no contexto do desenvolvimento sustentável.

Em 2020, a UN PRI atribuiu à BPI Gestão de Ativos a notação mais elevada (A+) em Estratégia e Governance, como reconhecimento do firme compromisso da entidade na incorporação de critérios ambientais, sociais e de bom governo (ESG) nas decisões de investimento. A organização internacional valorizou o grau de implementação dos Princípios para o Investimento Responsável da BPI Gestão de Ativos.

Posteriormente em 2021, a BPI Gestão de Ativos aderiu ao Global Compact das Nações Unidas e com isso adotou os dez princípios relacionados com Direitos Humanos, Direitos Laborais, Meio Ambiente e Corrupção.

Ainda em 2021, a BPI Gestão de Ativos tornou-se apoiante do Task Force on Climate-related Financial Disclosures (TCFD) com o objetivo de melhorar a transparência e a utilidade em matéria de riscos relacionados com a ação climática.